sábado, 15 de setembro de 2018

Eu terrinha miúda

Tenho descoberto muitas coisas sobre mim.
A maioria delas diz respeito a ser muito menos combativa do que eu achava que era.

Não sou combativa.

Aliás, numa guerra, por favor, me ponham para curar os feridos.
Aliás, numa guerra, por favor, parem com ela.

Me ponham para ser cantinho sereno.
Para ser pergunta para ser ninar.
Numa tempestade me ponham para ser aconchego, colo de espera.

Eu não ergo bem as tábuas e não construo bem os bunkers.
Eu não tenho forças
Não desse tipo.

Eu tenho força de guardar fotografias pra gente olhar em roda quando tiver passado o vento.

Eu não sou o vento
Achava que era
Mas não sou
Eu sou janela
Janela que está ali entre vento e casa.

Eu sou casa, sabe?
Eu achava que eu era furacão.
Sou não.

Eu sou chão, sabe?
Sou essa terrinha aqui miúda.
Essa terrinha se flor se for se úmida
Essa terrinha dúvida

Nenhum comentário:

Postar um comentário